Energia solar em residências: como funciona e seus benefícios

30.06
Categorias:

Energia solar em residências: como funciona e seus benefícios
A população mundial aumenta um pouco mais a cada dia que passa, e, com ela, aumenta também a nossa necessidade de espaço, alimentação e energia, fazendo com que seja cada dia mais difícil abastecer a população de forma sustentável.

Uma das principais ferramentas que temos hoje em dia para buscar um estilo de vida sustentável, pelo menos no que diz respeito a nossa matriz energética, é a energia solar, um tipo de tecnologia que foi criada há mais de 100 anos atrás, mas que apenas agora está ganhando a relevância merecida.

QUAL A IMPORTÂNCIA DA ENERGIA SOLAR?

A energia solar é, sem dúvida, o futuro, sendo um importante passo rumo à uma realidade sustentável, na qual as pessoas são capazes de viver de forma harmoniosa com o planeta. Fora isso, em tempos de crise econômica, em um país que depende essencialmente da energia produzida pelas hidrelétricas e que sofre com aumento na conta de luz de duas a três vezes por ano,investir em energia solar pode ser visto como uma atitude inteligente, sensata e prudente.

COMO FUNCIONA A ENERGIA SOLAR?

Como o próprio nome sugere, energia solar nada mais é que a produção de energia por meio da captação da luz solar. O que permite tal captação é uma série de painéis fotovoltaicos que são colocados no telhado da residência, ficando expostos à luz do sol durante todo o dia. Tais painéis são feitos de material semicondutor (usualmente silício), que, quando exposto à luz do sol, faz com que os elétrons do material absorvam os fótons presentes na luz solar, enviem a energia absorvida a um inversor solar, responsável por converter energia solar em energia elétrica, disponibilizando, então, tal energia para ser utilizada pelo sistema elétrico da casa.

É VIÁVEL INSTALAR EM MINHA RESIDÊNCIA?

Desde que surgiu, em meados de 1877, a tecnologia fotovoltaica, que permite a captação de energia solar, evoluiu muito, com a qualidade dos equipamentos tendo aumentado, o tamanho dos equipamentos diminuído e o custo de aquisição caindo gradualmente, fazendo com que esse tipo de tecnologia esteja ao alcance de um número cada vez maior de pessoas.

Fora isso, trata-se de um tipo de investimento que gera economia, praticamente pagando-se com o tempo, permitindo que aqueles que adotam um sistema de captação fotovoltaica economizem de 50% a 90% com iluminação (esse valor varia conforme o sistema adquirido e as necessidades energéticas diárias da pessoa), com a economia pagando pelo investimento em um período que vai de 5 a 7 anos.

Dessa forma, se a dúvida é a viabilidade financeira de um projeto como esse para a sua residência, existe uma boa chance de que a aquisição de um sistema de energia solar não esteja tão fora do seu orçamento como você havia pensado.

E SE NÃO FIZER SOL?

Boa parte das pessoas tem dúvida a respeito disso. A resposta para tal pergunta é: depende. Explica-se: se o sistema de energia solar instalado for do tipo térmico, como aqueles que são utilizados para aquecer a água da piscina, por exemplo, as placas irão precisar do CALOR do sol para funcionar. Se, por outro lado, o sistema for fotovoltaico, como os que são comumente usados para prover energia para residências, as placas precisam apenas da luz do sol para funcionar, não sendo necessário que haja calor, com as mesmas operando com a mesma capacidade de captação tanto em locais quentes como em locais frios – vale ressaltar, no entanto, que em dias nublados ou chuvosos a captação do sistema é afetada, diminuindo consideravelmente.

Neste momento talvez você esteja pensando: se o sistema fotovoltaico precisa da luz do sol para funcionar, como eu faço para ter energia a noite? Nesse caso, você tem duas opções: a primeira é a instalação de algum tipo de bateria acoplada ao sistema, que irá armazenar a energia captada ao longo do dia e fornecer o suficiente para que a casa continue abastecida ao longo da noite (ou ao longo de dias nublados e/ou chuvosos). A segunda, por sua vez, é utilizar a energia que é fornecida por alguma empresa de iluminação pública ao longo da noite, restringindo o uso da energia solar ao período diurno, o que diminui o custo de investimento inicial mas também o tamanho da economia ao final do mês.

COMO PROTEGER AS PLACAS?

As placas fotovoltaicas precisam, obviamente, ficar expostas ao sol para captar sua energia. Tal exposição, contudo, faz com que elas estejam sujeitas a outros tipos de intempéries, como vento e chuva muito forte. Por conta disso, é recomendável que se aplique sobre elas algum tipo de proteção, como por exemplo telhas de vidro, que são capazes de proteger as placas sem comprometer sua capacidade de absorção, haja vista que são transparentes.

As telhas de vidro são, de fato, a melhor opção para proteger um sistema de energia solar sem prejudicar a sua eficácia, porém elas devem ser de boa qualidade para garantir que o sistema não seja comprometido. Caso tenha se interessado, não deixe de entrar em contato com a Prismatic, uma empresa com mais de 50 anos de experiência, responsável por fornecer apenas produtos com o mais alto nível de qualidade possível por possuir os principais certificados de qualidade do mercado.

Comentários
2 comentários
  1. Alexandre santos disse:

    Excelente artigo. realmente eu vou fazer este curso sobre instalador solar. Obrigado pelas dicas.

  2. ROMERO ANTÔNIO FREITAS AZIS disse:

    Fiz um orçamento para instalação do kit de energia solar na minha cidade e vejam só:
    valor total do kit R$ 30.000,00
    valor da minha conta de energia elétrica mensal R$ 140,00

    Dividindo R$ 30.000,00 por R$ 140,00 resulta em 214 meses, que equivalem a 17 anos para pagar o kit. Somente à partir de 17 anos eu teria alguma economia. Até lá o kit sofrerá desgaste e precisará de manutenção.

    Resumindo: NÃO VALE A PENA A ENERGIA SOLAR. É uma ilusão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *